Resumo: Psicologia das Cores – Eva Heller – Amarelo

Continuando os posts resumo do livro A Psicologia das Cores da Eva Heller, hoje á vez da cor amarela, definida pelo livro como a cor mais contraditória, a cor da recreação, do entendimento e da traição.

Como nos outros capítulos, a autora cita diversas curiosidades, estudos, explicações e origens de expressões que tem a ver com a cor amarela.

Segue resumo:

  • Existem 115 tons de amarelo
  • O amarelo é a cor predileta de 6% dos homens e das mulheres. As pessoas mais velhas apreciam mais o amarelo do que os jovens – todas as cores luminosas vão sendo mais apreciadas com a idade.
  • Dentre os que detestam o amarelo, temos 7% dos homens e das mulheres; para eles, o amarelo é a cor menos apreciada.
  • Mais do que todas as outras cores, ela depende das cores combinadas a ela. Perto do branco, o amarelo parece radiosamente claro, perto do preto inconvenientemente berrante.
  • O amarelo é a cor do otimismo – mas também da irritação, da hipocrisia e da inveja. Ele é a cor da iluminação, do entendimento; mas é também a cor dos desprezados e dos traidores. É assim, extremamente ambígua, a cor amarela.
  • A experiência mais elementar que temos do amarelo é o sol. Esta experiência é compartilhada por todos como efeito simbólico: como cor do sol, o amarelo age de modo alegre e revigorante.
  • Através do rosa, a leveza do amarelo aumenta. O amarelo, combinado ao rosa e ao branco, pertence aos acordes → da leveza, → da pequenez, → da delicadeza. O amarelo tira o seu calor do Sol, apesar de que um efeito realmente caloroso só é obtido quando combinado ao laranja e ao vermelho. Vermelho-laranja-amarelo é o acorde → do calor, → da energia.

 

  • O verão: amarelo 38% · verde 28% · laranja 9% · vermelho 9%
  • A inveja: amarelo 38% · verde 22% · cinza 10% · preto 8%
  • O ciúme: amarelo 35% · verde 17% · preto 15% · violeta 8%
  • A avareza: amarelo 26% · cinza 21% · preto 13% · marrom 12% · verde 10%

 

  • O amarelo é a cor de tudo que nos causa raiva. A inveja é amarela – a inveja é a raiva pela posse alheia. Amarelo é o ciúme – raiva pela existência de outros. Também a cobiça é amarela. De acordo com a doutrina cristã, a inveja e a cobiça são dois dos sete pecados capitais. Todos os pecados capitais são facetas do egoísmo.
  • Quem está muito sujeito à raiva produz excesso de bile. Quando a raiva é excessiva, os dutos biliares se retesam, a bile não poderá ser removida através dos intestinos; vai então diretamente para o sangue, a pele fica amarela.
  • No simbolismo das cores, a todo pecado, a toda característica negativa corresponde o preto. O amarelo puro, cor da iluminação, quando combinado com o preto, torna-se a cor simbólica do impuro. O amarelo da inteligência se turva, transformando-se na cor da falta de discernimento.
  • No idioma inglês, “yellow” significa também “covarde”. Uma risada vacilante, os franceses a chamam de “um riso amarelo”. Na França e na Rússia, “uma casa amarela” significa (“maison jaune”/”zeltyi dom”) um manicômio.
  • A acidez: amarelo 43% · verde 40%. Azedo, refrescante e amargo – a essas sensações do paladar pertence o amarelo: somos remetidos ao limão, a mais ácida das frutas. Faz sentido com a imagem negativa do amarelo o fato de ele ser a segunda cor, depois do verde → do venenoso.
  • A impressão em preto sobre fundo amarelo propicia o melhor efeito para visão à distância. Por isso, as placas de trânsito, que não podem em hipótese alguma ser ignoradas, são em texto preto ou consistem de símbolos pretos sobre um fundo amarelo

 

  • “A espontaneidade / a impulsividade: amarelo 24% · azul 17% ·laranja 15% · verde 14%
  • A intrusão / o penetrante: laranja 18% · amarelo 16% · violeta 16% · vermelho 13% · rosa 12%
  • A ostentação: ouro 28% · amarelo 16% · laranja 16% · violeta 12%”

 

  • Por seu efeito ideal de visibilidade à distância e seu caráter penetrante quando visto de perto, o amarelo foi eleito a cor internacional das advertências.
  • Em virtude de os cristãos imputarem a cor amarela aos judeus, existe um profundo sentimento discriminatório: tanto na tradição cristã quanto na judaica, a cor amarela é proibida na liturgia. Na Igreja Católica essa tradição foi estabelecida no século XIX; as vestimentas dos sacerdotes poderiam ser bordadas em ouro, mas jamais em amarelo.
  • Como cor política, o amarelo desempenha entre nós um papel sempre negativo. Ainda não existiu nunca um partido que se autodenominasse “os amarelos”. Pois, num sentido político, o amarelo é a cor dos traidores.
  • Cada raça se considera o coroamento, o suprassumo da criação. Os brancos idealizam o branco, para os asiáticos o amarelo é a cor mais linda – muitos europeus custam a acreditar.
  • Do mesmo modo como o papel amarelece, na velhice os dentes também amarelam, assim como a tez e a cor dos olhos. O amarelecimento é a marca da idade, e da decadência.
  • O mau odor também é representado na propaganda por fumacinhas de um amarelo sujo.

 

Gostou?

Então acesse os posts resumo sobre as outra cores:

Vermelho

Azul

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *