Resumo: Psicologia das Cores – Eva Eller – Verde

Continuando o resumo do livro Psicologia das Cores, da autora Eva Eller, hoje é dia da cor verde, que segundo o livro é a cor da fertilidade, da esperança e da burguesia.

Como nos outros capítulos, a autora cita diversas curiosidades, estudos, explicações e origens de expressões que tem a ver com a cor verde.

Veja só:

  • Existem 100 tons de verde
  • O verde é a cor predileta de 16% dos homens e 15% das mulheres.6 O verde vai sendo mais apreciado com a idade, sobretudo pelos homens. Dentre os homens de até 25 anos de idade ou menos, apenas 12% citam o verde como cor predileta; dentre os acima dos 50 anos, 20%.
  • O verde é uma ideologia, um estilo de vida: consciência ambiental, amor à natureza, ao mesmo tempo a recusa a uma sociedade dominada pela tecnologia.
  • O verde é a cor que mais variações tem. Um pequeno toque de azul já transforma o amarelo em verde; por outro lado, o verde pode conter todas as outras cores, o branco e o preto, o marrom e o vermelho – e continuará sendo verde. Mas ele se modifica mais que as outras cores com a luz, dependendo de ela ser natural ou artificial. Por isso, o verde também simboliza uma cor muito mutável.
  • Nos acordes cromáticos, o verde, na maioria das vezes, se combina com o azul – sempre com um efeito positivo. Caso se combine com preto ou violeta, seu efeito se torna negativo.
  • O vermelho dá a impressão de proximidade, o azul de distância; no meio fica o verde – essa é a lei da perspectiva das cores
  • O verde é a cor intermediária nas mais diversas dimensões: o vermelho é quente, o azul é frio; a temperatura do verde é agradável. O vermelho é seco, o azul é molhado; o verde é úmido. O vermelho é ativo, o azul é passivo; o verde é tranquilizador.
  • Os extremos são excitantes, perigosos. O verde, em sua mais completa neutralidade entre todos os extremos, atua de uma maneira que acalma e transmite segurança.
  • O efeito naturalista do verde não depende de nenhum tom especial de verde, e sim das cores que a ele são combinadas: com azul e branco – as cores do céu – e marrom – cor da terra – o verde se mostra absolutamente natural.
  • O verde faz parte também do acorde da felicidade: ouro-vermelho-verde – o ouro representa a riqueza, o vermelho o amor e o verde a saúde.
  • A primavera: verde 62% · amarelo 18% · azul 6% · rosa 5%
  • A cor da primavera, dos negócios que florescem e da fertilidade
  • A rã é também um símbolo de fertilidade. Ela é verde, põe numerosos ovos e assemelha-se a um embrião humano. Por isso, o rei dos sapos da lenda deseja a todo custo ir para a cama com a princesa.
  • Tudo o que é verde transmite uma sensação de frescor. Até mesmo perfumes na coloração verde sugerem aromas cheios de frescor; deles se diz que têm “uma fragrância verde”.
  • brotos verdes podem florescer em qualquer cor. Porém, não existe nenhuma planta, nenhuma flor que percorra o caminho inverso – o estágio da imaturidade é sempre verde.
  • Os sentimentos também se desenvolvem, crescem. Na poesia dos trovadores, o verde é a cor do amor que desabrocha
  • A ideia de a esperança ser verde sobrevive porque está aparentada com a experiência da primavera. As analogias idiomáticas tornam isso visível: a esperança germina como a semente na primavera. A primavera significa renovação após um tempo de escassez.
  • Em meio ao deserto a natureza verde é grandiosa, o verde passa a significar o mesmo que bem-estar material e espiritual. Porém, no Norte da Europa, onde o verde existe em abundância, a experiência ensinou que a exuberância verde não é garantia de riqueza, nem sequer de sobrevivência.
  • O verde se tornou a cor do veneno em função da tinta usada para pinturas artísticas. Desde a Antiguidade se conhecia um verde luminoso, que era obtido a partir de chapas de cobre que, tratadas com vinagre, produziam azinhavre. Esse azinhavre era raspado e misturado com cola ou gema de ovo, ou ainda com óleo, como aglutinantes – desse modo era produzida a tinta. Esse é o verde intenso que vemos nos telhados de cobre, que é também chamado de “verde cobre”, e que tem efeito tóxico.
  • O verde é a mais calmante dentre todas as cores, é a cor do sentimento de estar em segurança. Azul-verde é também o acorde → da descontração.
  • Os semáforos desempenham um papel importante na vida moderna; consequentemente, essa simbologia foi universalizada. Também nos edifícios cartazes verdes sinalizam acesso livre, saídas de emergência são iluminadas de verde. Em geral os caminhos para socorro são demarcados com setas brancas sobre um fundo verde.
  • A cor “verde padrão” é um verde-escuro, cinzento. É tido como a mais agradável das cores para ser observada por períodos longos, por isso é adotado como cor padrão para as lousas escolares.

Ficou curioso pra saber das outras cores?

Segue o link dos resumos:

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *